Viagem de Estudo ao Norte de Portugal: Clima e Sustentabilidade

Durante dois dias estivemos em viagem de estudo ao Norte de Portugal, mais precisamente às cidades de Covilhã, Peso da Régua e Vila Real (17 e 18 de maio 2019). Juntei-me aos colegas da 10a. edição e aos professores do programa doutoral em Alterações Climáticas e Política de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Lisboa e Nova de Lisboa para conhecer de perto práticas sustentáveis de produção de blocos para a construção civil, a fabricação artesanal de queijo de ovelha e o manejo das vinhas frente aos impactos das mudanças no clima.

Em Covilhã, estivemos na Universidade da Beira Interior (UBI) e conhecemos o processo de fabrico e teste de blocos para construção (eCO2blocks – eCO2cement) que são feitos com resíduos no Laboratório da Engenharia (C MADE). Os avanços na produção de blocos para construção foram explicados pelo Prof. João Castro Gomes (foto de terno escuro) que enfatizou o uso de resíduos industriais, a absorção de dióxido de carbono e a dispensa no uso de água para sua produção, em comparação ao cimento Portland. O laboratório funciona no prédio parcialmente restaurado da antiga fábrica de lã. Desde o século XII, Covilhã foi o centro da indústria têxtil e da Rota da Lã em Portugal.

Entre Covilhã e a nossa próxima parada, cruzamos o Parque Natural da Serra da Estrela, passamos pelo ponto mais alto a 1.993 metros (6.539 pés) e observamos os vestígios de glaciação.

No caminho, paramos para ver a escultura em rocha granítica de sete metros de altura da Nossa Senhora da Boa Estrela, a padroeira dos pastores, inaugurada em 1946. A escultura localizada no Covão do Boi foi uma encomenda a Antônio Duarte, pai do Prof. Filipe D. Santos, diretor do Programa. “Muitos verões foram passados aqui”, comentou Prof. Filipe. Ainda hoje as festividades para celebrar a fé e a proteção aos pastores são realizadas no segundo domingo de agosto.

Chegamos a Seia e fomos ver de perto o fabrico artesanal de queijo de ovelha, onde a renomada empreendedora familiar – Maria Natália Simão – produz queijo de modo artesanal e o marido pastoreia as ovelhas na Serra da Estrela por dois meses no verão à modo antiga.

De Seia, seguimos viagem para Peso da Régua, para conhecer o manejo das vinhas frente aos desafios das Alterações Climáticas pelo empreendimento privado da família Symington.

Fomos recebidos na mais antiga propriedade – a Quinta do Bonfim, uma das 26 quintas da família no Alto Douro, região que é Patrimônio Mundial da Unesco.

Compartilhando ...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s