Arte em grafite e a Marcha pelo Clima

Na Praça do Rossio, o artista português Tomás Pires (foto) faz arte em grafite na Parede Efêmera construída com papel celparede efemera1ofane como contribuição à mobilização pelo clima.  Tomás conta que realiza trabalhos profissionais há uns 3 anos e que para o dia da Mobilização Global escolheu o mote da Amazônia e os Povos Indígenas pois acredita que a imagem de um índio salvando a Terra casa bem com a petição por energia limpa e por ação para as alterações climáticas.

Livro VerticalAlém da Parede Efêmera os 400 participantes da Mobilização na Praça do Rossio, contavam também com o Livro Vertical (foto), um painel público no qual as pessoas podiam escrever livremente assuas mensagens. Também houve espaço para construção de cartazes e para a assinatura da Petição 100% Clean.

O dia era para se vestir de verde e a mobilização global levou às ruas pessoas no mundo todo.

 

 

Anúncios

People’s Climate March – Lisboa

O valor intergeracional aparece cada vez com mais ênfase no posicionamento político sobre as alterações climáticas. Paulo Magalhães, coordenador da ONG portuguesa Quercus, iniciou o discurso afirmando que a situação atual rouba a esperança das futuras gerações de ter uma vida como a que conhecemos hoje. Junto a ele outros também utilizaram o microfone do palco público na Praça do Rossio (Lisboa, Portugal) para falar da necessidade de mudança e principalmente da necessidade de escolher políticos que possam escolher políticas que tratem dos impactos das alterações climáticas. Eu participei da mobilização na Praça do Rossio com cerca de outras 400 pessoas.

Manifestante Raquel e a sobrinha1Com os pés na terra, a cidadã Raquel Cabrita (foto), e sua sobrinha Maria Beatriz, exibia o cartaz para dizer que as soluções já existem e que é necessário agir agora antes que seja tarde demais. Raquel vive em Oeiras, na grande Lisboa, Portugal, e assinou a petição entregue ao secretário-geral das Nações Unidas pela  ONG Avaaz. Segundo Raquel, o que a motivou a assinar a petição e a participar da mobilização é a preocupação com as futuras gerações e porque as consequências das alterações climáticas estão às claras.

A petição digital (100% Clean) foi assinada por mais de dois milhões de pessoas digitalmente no mundo todo. A petição pede ação política e energia limpa para que se possa manter a temperatura do planeta em menos de 2ºC. Além de Lisboa, outras cidades também realizaram mobilização cujos números apontam para meio milhão nas rua a pedir ação política e menos carbono no nosso cotidiano. As pessoas em Nova Iorque, Montreal, Rio de Janeiro, Melbourne, Bogotá dentre outras demonstraram que o tema está na agenda pública.