Earth Day: esperança renovada nos 2 graus Celsius

Paris COP 21 Eiffel TowerEstou renovando minhas esperanças hoje – Dia da Terra – de que vamos ficar abaixo dos 2 graus Celsius quando eu tiver na faixa dos 80. Se assim for, as gerações depois de mim podem contemplar as belezas naturais e a vida aqui nesse nosso mundo. (Foto: ibtimes.co.uk)

Mais de 150 países assinam hoje, em Nova Iorque, o Acordo de Paris 2015, que pode não ser perfeito, mas simboliza a capacidade de cooperação global em torno do clima como um bem comum.

Gostei da matéria anunciando o evento do website AccuWeather.

O website oficial do Earth Day  faz campanha por plantar 50 mil árvores e o contador oficial diz que 95% da meta já foi alcançada por intermédio de doações equivalentes a 1 árvore = 1 dólar.

Li com curiosidade e atenção o material do Vox  falando sobre o que aprendemos do Dia da Terra do ano passado para cá. Dos sete tópicos comentados, a descoberta do Homo Nadeli, dos três trilhões de árvores, e do coral na foz do Amazonas, no Brasil, são os que mais me interessaram.

E as indústrias Google trazem ilustrações dos biomas para celebrar o 22 de abril. Eu escolhi colocar aqui o deserto, afinal essa semana a humidade ficou em 14% e a seca da Califórnia veio para ficar. É possível conhecer os demais clicando aqui.

Google Doodles Desert and Tortoise

Anúncios

Ciência, Religião e Política: mudanças climáticas na voz do cientista V.“Ram”

Dr. Ram and Giri 2016Fala mansa, humor delicado e senso de urgência. Foi assim que Dr. Ram se apresentou na palestra que fez dentro da St. Paul’s Episcopal Cathedral na sexta-feira, dia 15 de abril. Sua esposa Giri Ramanathan (foto) me conta que a missão dele agora é comunicar a ciência do clima e influenciar as pessoas e os políticos. V.“Ram” é Dr. Veerabhadran Ramanathan, cientista do Scripps Institute of Oceanograph da Universidade da Califórnia – San Diego (UCSD), que, em 1975, descobre que CFCs e black carbon contribuem para o aquecimento global, além do dióxido de carbono.

Além de comunicar e influenciar políticos, Dr. Ram também transforma a realidade. Como ativista, ele se junta as duas filhas, a caçula na Índia e a mais velha em Los Angeles, na ONG NexLeaf para tornar possível o uso de telefone celular como sensor para monitorar a emissão de gases de efeito estufa por fogareiros “limpos” permitindo que as donas de casa pobres recebam incentivos financeiros por contribuirem com a mitigação das mudanças climáticas. Sootswap App EnergyNextComo professor da UCSD continua realizando pesquisa aplicada sobre black carbon e desenvolve o Projeto Surya. Como conselheiro, está trabalhando com o governador Jerry Brown da Califórnia, preparando a posição do estado para a reunião internacional de assinatura de adesão dos países ao Acordo de Paris 2015, a ser realizada no Dia da Terra (22 de abril). Como cientista, é integrante de diversas academias de ciência nos Estados Unidos e na Europa, e também da Pontifical Academy of Sciences (Academia de Ciência do Vaticano).

Como integrante da Academia do Vaticano, Dr. V. “Ram” se tornou um dos mentores da Encíclica Papal sobre o clima – Laudato Si’. Sua presença ao lado do Papa Francisco em inúmeras ocasiões o fizeram uma figura pública internacional cuja mensagem alia Ciência, Religião e Política. “A Encíclica transcende o cristianismo e fala de justiça climática”, diz o cientista Ramanathan durante a palestra, enfatizando que o clima é um bem comum global. E por isso, segundo ele, é de responsabilidade de todos.

Grupo Seleto – Enquanto Dr. Ram cuida das pessoas do mundo e das pessoas pobres da Índia, sua esposa manifesta preocupação com a saúde do marido. “He just had a hearth attack (ele acabou de ter um ataque cardíaco)”, comenta Giri para justificar por que fica de olho para que ele não exagere, pois o marido trabalha muito. Giri diz que, quando acha conveniente, faz sugestões sobre as palestras com o objetivo de torna-las mais claras e sempre que pode acompanha o marido em suas caminhadas. Segundo ela, Dr. Ram se apaixonou por comunicar Ciência e vem se tornando um bem-sucedido comunicador.

O professor de Ciências da Atmosfera e do Clima e figura pública internacional faz parte de um seleto grupo de cientistas do clima que decidiram colocar não só o pé do lado de fora do laboratório, mas também o coração. Para citar dois deles: James Hansen, ex-diretor do Instituto de Estudos Espaciais da NASA, e Felipe D. Santos, diretor do programa doutoral Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável, da Universidade de Lisboa, Portugal.

A palestra de uma hora do Dr. Ram contou com 150 pessoas sentadas nos bancos da nave principal da catedral e foi recheada de emoção e humor. Tocou o coração dos ouvintes ao dizer que mudanças climáticas é uma questão de ética e moral que afeta aqueles que nem nasceram ainda, os que ainda são crianças e os mais de três bilhões de menos favorecidos do planeta. Além de falar de perto ao coração, não faltou a Dr. “Ram” um humor delicado que o empregou todas as vezes que abordava fatos que interligavam sua vida pessoal à sua vida de cientista da atmosfera e sua luta para reduzir e eliminar os efeitos das mudanças climáticas.

Tópicos extras – Dr. Ram e a palestra na St Paul’s Cathedral

Desperdício e Vegan – Vegetariano

Quando perguntado porque fala pouco sobre o tema de ser vegetariano, Dr. “Ram” respondeu que antes de pensar em mudar a dieta é preciso combater o desperdício de alimento. Ele diz que mais cedo ou mais tarde vamos eliminar carne da dieta diante dos efeitos das mudanças climáticas, mas que agora é o momento de nos preocuparmos em combater o desperdício de alimento.

Subsídio e um problema de 450 dólares

Dr. “Ram” usou matemática para mostrar que se a parcela de um bilhão de pessoas mais ricas do mundo, que causam 50% da poluição climática, dividisse entre elas o custo do que se paga de subsídio à indústria do petróleo e gás, bastaria recolher 450 dólares de cada uma delas. Afinal, o subsídio é pago com dinheiro público, isto é, do contribuinte. Na visão de Dr. “Ram” é necessário mudar o comportamento relação à natureza.

Impala e Smart

Usando de humor para falar das mudanças em sua própria vida, Apresentação2conta o sonho de ter um Impala quando ainda muito jovem cultivava o desejo de sair da comunidade pobre da Índia e vir para os Estados Unidos. “Meu sonho se transformou num sonho Smart”, diz ele enfatizando que ele e a esposa em casa possuem um Smart, palavra que também significa inteligente.

Geração e Clima

As mudanças climáticas é um problema intra e inter-geracional. Ele impacta uma geração que não nasceu ainda e também aquela que menos contribui para o problema. Segundo Dr. “Ram”, é necessário que os líderes políticos e religiosos se envolvem para que possam juntos resolver a questão, pois há uma assimetria entre quem emite CO2 e quem sofre as consequências. Durante a palestra, Dr. “Ram” lembra que, ainda que façamos uma transição para energia limpa, o dióxido de carbono que permanece na atmosfera vai estar ali pelos próximos dois séculos, afetando as gerações que neles viverem.

Ação Individual e Ação Coletiva

Na visão de Dr. “Ram”, as ações individuais são de igual importância que as ações coletivas. Para ele, os impactos são reduzidos e eliminados quando coletiva e individualmente cada um faz o que é necessário fazer, modificando comportamento e implementando políticas.

Evento – A palestra foi organizada pela Coalisão Inter-Religiosa de Energia e Luz da Califórnia (Interfaith Power & Light), que tem como meta responder às questões do aquecimento global por intermédio de medidas como conservação e eficiência energética e pela aplicação de energia renovável nas instituições religiosas que fazem parte da Coalisão. E contou com o apoio do ministério de Viver Simples da St. Paul’s Episcopal Cathedral (Simpler Living).