Estudantes e professores de Jornalismo lançam livro sobre Rio+20

Manhã de Autógrafo

Equipe de agência de notícias universitária relata experiência de produção jornalística da Conferência da ONU para o Desenvolvimento Sustentável

Os alunos de Jornalismo do Centro Universitário de Brasília (UniCEUB) Ivan Brandão, Isthael Samara e Jamile Rodrigues e os professores da instituição Henrique Moreira, Mônica Prado e Luiz Claudio Ferreira lançaram nessa quinta-feira (4/10) o livro Relato de Experiência: Rio+20 e a Agência de Notícias Universitária no V Congresso de Ensino, Pesquisa e Extensão. Na foto, sessão de autógrafos do livro sobre a Agência (Ao fundo à esquerda Prof Luiz Claudio, estudantes Ivan, Jamile e Sthael ao centro e Prof Mônica Prado na ponta à direita).

Apesar de não conseguirem com a Organização das Nações Unidas (ONU) o credenciamento para entrar no Riocentro, onde acontecia a Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) em junho deste ano, por serem de uma agência de notícias universitária, eles não deixaram esse momento passar em branco. A editora de Sustentabilidade, Mônica, e os discentes Ivan e Sthael foram para o Rio de Janeiro e cobriram a Rio+20 de forma alternativa.

Eles fizeram a cobertura do que acontecia ao redor do Riocentro. Além de ir para os eventos paralelos – no Pier Mauá, no Aterro do Flamengo, no Forte de Copacabana e no Jardim Botânico -, a equipe mostrou os problemas ambientais da cidade que sediava a Rio+20 e os protestos que ocorreram no Rio de Janeiro contra a degradação do meio ambiente. “Nós fomos para a lagoa, para o lixão. Esse é o espírito da Agência, é estar onde os grandes meios não estão”, disse o editor chefe, Luiz Claudio Ferreira. E, ainda, em Brasília, a Agência fez um programa no estúdio de rádio, Rio+20 em Pauta, com uma série de entrevistas de março a maio a título de aquecimento para a cobertura do acontecimento.

No Congresso do UniCEUB, os alunos e docentes fizeram um relato de suas experiências na cobertura, contando suas dificuldades e o sucesso da produção jornalística no estado carioca. “Não fomos fazer uma cobertura factual, fomos fazer uma cobertura com um olhar mais humano”, afirma o estudante Ivan. Eles também tiveram a oportunidade de mostrar o atual trabalho da agência de notícias, despertando o interesse dos alunos de comunicação da instituição.

Rio+20 – Rio +20 foi aConferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável, que ocorreu no Rio de Janeiro entre os dias 13 e 22 de junho. Uma reunião da ONU com 193 países para discutir como o mundo poderia crescer economicamente preservando o meio ambiente e tirando as pessoas da pobreza. Ela é chamada assim porque marca os 20 anos da Rio92 ou ECO92. Para o evento, foram escolhidos dois temas centrais: a economia verde, com um modelo de produção que degrade menos o meio ambiente, e a governança internacional, que indica estruturas para alcançar esse futuro desejado.

Por Weslian Medeiros, estudante de Jornalismo

A matéria foi publicada pela Agência de Notícias UniCEUB

http://www.agenciadenoticias.uniceub.br/2012/10/relatos-de-uma-experienciacomo-cobrir.html

Anúncios

Mutação no tecido social: o caminho possível

Dias atrás escrevemos sobre a palestra que a ambientalista Marina Silva proferiu no UniCEUB durante o X Congresso Científico. Na palestra, falando sobre como a civilização poderá modificar a forma de consumir e produzir, Marina disse que a mudança não se dará por rupturas e que também não é possível uma transição demorada.

Ela entende que a saída para a crise civilizatória que estamos vivendo é a mutação no tecido social. Ou seja, pessoas (cidades, instituições, empresas) que estão se deslocando para o novo eixo (desenvolvimento sustentável) acabam criando pressão e transformações na maneira com se lida e se gerencia recursos naturais, criando um efeito expansionista, pois há uma busca por mais sustentabilidade por parte de muitos. Marina, em seu argumento, explica que as pessoas no mundo estão vivendo um momento de desadaptação criativa no qual buscam usar da inteligência para superar as circunstâncias irreversíveis que encontram pela frente no modo de viver suas vidas cotidianas.

Essas idéias e argumentos de Marina Silva não são novos, mas o brilhantismo delas é se tornarem fundamentos na hora de articular o discurso diante de professores, alunos e comunidade científica. Marina Silva, desde que se apresentou como uma terceira via nas eleições de 2010, vem fazendo palestras em todo o país e nas mais diversas universidades. E em muitos desses espaços aborda esses mesmos temas elencados na palestra do UniCEUB. Há uma substância de Educação Ambiental em seus discursos, afinal Marina Silva é professora de formação.